Home / Sem Categoria / Uma outra Visão sobre o Hexagrama 39

Uma outra Visão sobre o Hexagrama 39

Uma outra visão sobre o hexagrama 39 do I Ching - ObstruçãoEste hexagrama representa um abismo perigoso adiante e uma montanha íngreme e inacessível à retaguarda. Está-se cercado de obstáculos. Porém, no atributo da montanha, a quietude, está implícita uma indicação de como se pode superá-los. O hexagrama representa obstáculos que aparecem no decorrer do tempo, mas que podem e devem ser superados. Por isso todo o texto se dirige à sua superação.

Julgamento

OBSTRUÇÃO.
O sudoeste é favorável.
O nordeste não é favorável.
É favorável ver o grande homem.
A perseverança traz boa fortuna.

O sudoeste é a região da retirada; o nordeste, a região do avanço. Trata-se aqui de uma situação na qual alguém está diante de obstruções que não podem ser superadas diretamente. Neste caso, o sábio é parar diante do perigo e retirar-se. Essa, entretanto, é apenas uma preparação para a superação dos obstáculos. É necessário unir-se a amigos que compartilham do mesmo modo de pensar e colocar-se sob a direção de um homem à altura da situação. Assim se conseguirá remover as obstruções. Isto requer a capacidade de perseverar justo quando se tem de fazer algo que aparentemente desvia da meta. Esta inabalável firmeza interior traz ao final boa fortuna. Um impedimento temporário pode ser importante para o fortalecimento do caráter. Este é o valor da adversidade.

Imagem

A água acima da montanha: a imagem da OBSTRUÇÃO.
Assim, o homem superior volta-se sobre si mesmo
e cultiva seu caráter.

Dificuldades e obstáculos provocam e sugerem uma interiorização. Enquanto o homem inferior culpa ao mundo e incrimina o destino, o homem superior procura o erro em si esmo. Em virtude dessa introspecção, o impedimento externo torna-se para ele uma oportunidade de enriquecimento e aprendizagem.

Linhas

Seis na primeira posição significa:
Seguir conduz à obstrução.
Ao voltar se encontra o louvor.

Quando se encontra uma obstrução, o importante é refletir quanto ao melhor meio de lidar com ela. Quando um perigo ameaça, não se deve avançar às cegas, o que só conduziria a confusões. A atitude correta consiste em recuar temporariamente, não para desistir da luta, e sim para esperar o momento próprio à ação.

Seis na segunda posição significa:
O servidor de um rei encontra obstrução sobre obstrução,
mas não é por culpa sua.

Em geral é preferível desviar-se da obstrução, tentando superá-la pelo caminho de menor resistência. Há, entretanto, condições que exigem que se vá ao encontro do obstáculo, mesmo que dificuldades sobrevenham uma após a outra – é quando o dever o impõe. Neste caso não se é livre para escolher segundo uma vontade própria, mas se é forçado a enfrentar o perigo em defesa de uma causa superior. Pode-se então proceder desta maneira com plena tranqüilidade, pois não é por erro próprio que a pessoa se encontra nessa situação difícil.

Nove na terceira posição significa:
Seguir conduz a obstruções.
Assim sendo, ele volta.

Enquanto a linha anterior se refere a um funcionário que, para cumprir seu dever, é forçado a seguir no caminho do perigo, esta linha alude ao homem que deve agir como pai de família ou como chefe de seu clã. Seria inútil que ele se precipitasse irresponsavelmente no perigo, pois aqueles que estão sob seus cuidados não teriam condições de prosseguir sozinhos. Se, ao contrário, recuar e retornar aos seus, eles o saudarão com grande alegria.

Seis quarta posição significa
Prosseguir conduz a obstruções.
Voltar conduz à união.

Aqui se descreve também uma situação que não se pode enfrentar sozinho. Neste caso, o caminho direto não é o mais curto. Se alguém quisesse avançar por suas próprias forças sem os devidos preparativos, não encontraria o apoio necessário. Compreenderia, então, já tarde demais, que enganou-se em seus cálculos. As condições com as quais esperava poder contar se mostram insuficientes. Neste caso é preferível primeiro manter certa reserva, até se conseguir reunir companheiros de confiança e com o apoio dos quais se possa superar as obstruções.

Nove na quinta posição significa:
No meio das maiores obstruções chegam amigos.

Aqui surge o homem que é chamado a ajudar durante uma emergência. Ele não deve tentar evitar as obstruções, mesmo que estas se acumulem perigosamente diante dele. Mas como um tal homem realmente possui uma vocação superior, o poder de seu espírito é forte o suficiente para atrair auxiliares. Ele, por sua vez, tem condições de organizá-los de modo a que, graças à cooperação de todos num esforço conjunto, o obstáculo possa vir e ser superado.

Seis na sexta posição significa:
Seguir conduz a obstruções,
voltar conduz à grande boa fortuna.
É favorável ver o grande homem.

O texto aqui se refere a um homem que já deixou para trás o mundo e seus tumultos. Quando surge a época dos obstáculos, poderia parecer mais simples para ele abandonar o mundo e refugiar-se no além. Mas este caminho lhe está fechado. Ele não deve atingir a salvação sozinho, deixando o mundo entregue à adversidade. O dever o chama mais uma vez ao tumulto do mundo. Em virtude de sua experiência e liberdade interior, ele tem a possibilidade de criar algo grandioso e maduro que traga boa fortuna. É, portanto, favorável ver o grande homem com cuja colaboração se poderá realizar a obra da salvação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *