Home / Como Consultar o I Ching / Como Formular a Pergunta

Como Formular a Pergunta

A formulação das perguntas

Tudo fica mais fácil quando admitimos o I Ching como expressão viva e generosa do Velho Sábio, ao qual podemos recorrer sempre que necessitarmos. Não cabe diante dele sentimentos de apreensão ou de respeito exagerado, que acabariam nos afastando de sua boa influência. Para este mestre compassivo e justo, qualquer interrogação, mesmo a de aparência mais banal, terá boa acolhida se for sincera.

Como Formular a Pergunta ao Oráculo do I Ching
I Ching – um livro em aberto para nos orientar

Como a linguagem do livro é simbólica, suas respostas às nossas perguntas deverão ser interpretadas em função do assunto que estamos tratando. Muitos iniciantes sentem dificuldade para entender a reposta porque viciam suas consultas com perguntas tipo sim ou não: “Vai dar certo?”, “Vou ganhar”, “Ele é confiável”? Na verdade, na maior parte das vezes a resposta do oráculo consiste mais em orientar o consulente para chegar a um bom resultado, e não simplesmente em responder com um simples sim ou não. Podemos afirmar que o I Ching não tem dificuldade em entender nossas dúvidas e dificuldades; ao contrário, somos nós que ignoramos o modo justo de nos posicionar e de escolher o melhor caminho para fazer face aos desafios.

Uma pessoa, por exemplo, pode estar doente e, nesse caso, a resposta mais útil para uma pergunta sobre saúde será a orientação para a cura e não apenas confirmar, com um sim ou não, que de fato ela se encontra doente, o que provavelmente ela já está sabendo. A postura mais eficaz de consulta, portanto, é a de expor a questão da maneira mais clara possível e pedir uma orientação ou prognóstico para o assunto  que nos importa no momento.

Um modo de desenvolver nossa compreensão dos símbolos e ganhar confiança é reservar um caderno para anotar nossas questões, relacionando os pontos que nos parecem mais importantes; feita a consulta,  registramos os hexagramas oferecidas como resposta pelo oráculo. Se anotarmos também qual foi nossa conclusão, teremos com o tempo bastante exemplos para entender concretamente como os fatos se desenrolaram e, assim, comprovarmos o que o Livro nos indica.

Em resumo: procure ir além do sim ou não. Tente deixar claro o que se encontra em jogo, a real natureza da sua dúvida ou de seu sofrimento. Leia a resposta dada pelo I Ching como uma analogia, como um símbolo a ser aplicado para esclarecer a sua questão e, mais ainda,  oferecer o melhor caminho para superar os obstáculos.

Sobre Constantino K. Riemma

Constantino K. Riemma
É autor de diversos textos sobre I Ching, Astrologia e Tarô. Trabalha como Terapeuta há 20 anos utilizando estas linguagens simbólicas como ferramenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *